31 janeiro, 2013

Lamentável tortura diária

Mais de duzentos jovens morreram em uma boate em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. O fato marcou o país e muitas famílias, inegável, mas é o tipo de acontecimento que merece solidariedade e compaixão e não uma masturbação mental. Faz quase uma semana do corrido e os telejornais e outros veículos de comunicação ainda divulgam o assunto de forma maçante.

Devemos orar pelas famílias e deixar que a mídia se acabe tentando faturar em cima da (imensurável) tristeza alheia. Trata-se de sensacionalismo disfarçado de apuração jornalística. Desrespeito. Essa exploração é revoltante, desprezível.

Não levanto a bandeira da alienação e, paralelamente, rejeito a propagação de informações tóxicas. Não precisamos nos submeter a essa tortura diária, preencher pensamentos com tantas imagens trágicas, dolorosas, repetitivas, que provocam em nós e na imprensa um ciclo vicioso de busca por mais e mais imagens trágicas, dolorosas e repetitivas. Nada disso vai ressuscitar as vítimas, ou consolar os seus familiares, ou fazer o tempo voltar.

Vamos ser críticos e resistentes ao que o mundo nos apresenta. Não tenhamos necessidades desnecessárias. Somos aquilo que permitimos entrar por nossos olhos e ouvidos.



Ingrid Dragone