06 agosto, 2010

Quem tem boca (vai a Roma) muda a língua portuguesa

Na época da faculdade de Letras, eu fazia uma disciplina que tratava da variabilidade linguística. Durante as aulas, discutíamos a língua portuguesa cotidiana, as mudanças que acontecem nos vocábulos e nas expressões devido ao uso comum. Era bem interessante, porque descobríamos o motivo de várias alterações e novos usos. A maior parte dessas mudanças tem a ver com a “economia de palavras” e com um processo semelhante àquela brincadeira do “telefone sem fio”, ou seja, uma frase/expressão passa de um para outro e acaba sendo transformada, adquirindo outro sentido.

Essa semana recebi um e-mail mostrando as mudanças que ocorreram em algumas expressões que os brasileiros costumam usar. E, como amo essas curiosidades, resolvi dividir o conteúdo com vocês.

1. “Hoje é domingo, pé-de-cachimbo”: Imagine aí? Um pé-de-cachimbo seria uma planta alta? Cheia de cachimbos pendurados? O certo é: “Hoje é domingo, pede cachimbo”. “Pede” do verbo “pedir”. Domingo é um dia de descanso e fumar um cachimbo seria, no dito popular, uma forma de relaxar.

2. “Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho carpinteiro”: Que bicho seria esse? Uma espécie de cupim? O certo é: “Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro”. Aaaaaaah!!!

3. “Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão”: Minha irmã tinha até uma boneca que falava isso (“Poeminha” era o nome dela). Pois é, o fabricante da boneca e toda a torcida do flamengo estão enganados! O certo é: “Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão”. É lógico, inclusive, pois a batata é uma raiz. A ramagem da batata se espalha, não a batata, que fica embaixo da terra. Dã!!!

4. “Cor de burro quando foge”: Essa cor seria um tipo de marrom sem graça? Bem, foi o que sempre soube. Que cor ficaria um burro ao fugir? O certo é: “Corro de burro quando foge”. Pense na visão do inferno? Um burro fugindo, em sua direção? Você correria?

5. “Quem tem boca vai a Roma”: Ah, vai!!! Quem se comunica consegue chegar longe, onde quiser, não é?! Todo mundo fala assim! Pois todo mundo está errando!!! O certo é: “Quem tem boca vaia Roma”. “Vaia” do verbo “vaiar”. Na época da Roma antiga, todos os que queriam demonstrar descontentamento com o governo romano só podiam vaiar. O ditado quer dizer que quem não gosta, arruma um jeito de mostrar que não gostou.

6. “Cuspido e escarrado”: As pessoas usam quando querem dizer que alguém é a cara de outro. Normal, né? O correto é: “Esculpido em carrara”. Carrara é um tipo de mármore. Eu já havia escutado também a versão “esculpido e encarnado”.

4 comentários:

TD disse...

Os itens 5 e 6 já sabia, mas morri de rir com o resto. Adorei o texto. Beijão

INGRID DRAGONE disse...

Valeu, TD! Um abração!!!

Daniel Queiroz disse...

Muito bom, amor. O de Roma é show! hehe

INGRID DRAGONE disse...

Obrigada, amor!