23 setembro, 2009

Falta tempo?

Na semana passada li um artigo sobre as pessoas “muito ocupadas”. O autor falava sobre o quanto é ridículo respondermos “estou tão cansado”, quando alguém passa por nós e pergunta de maneira simpática “como você está?”. Na verdade, a pessoa que nos faz esse tipo de cumprimento só está querendo ser gentil, ou seja, não está, definitivamente, querendo ouvir nossos problemas ou qualquer tipo de queixa. Além disso, de que adianta reclamar da quantidade de trabalho? Quem hoje em dia não se vira nos trinta para ganhar mais dinheiro ou ter mais reconhecimento?

Vamos pensar também sob outro aspecto: pessoas que estão o tempo todo sem tempo (desculpem-me pelo trocadilho) são aquelas que não sabem se organizar ou, muitas vezes, são aquelas que gastam minutos preciosos fazendo fofoca, dormindo demais e até comentando o destino dos personagens da novela das oito (ou nove?). Bem, não sou chegada a fofocas, acho que estender o sono pode ser necessário e não tenho nada contra falar sobre novela, contudo, venhamos e convenhamos, quem não tem tempo não precisa de passatempos como esses. Certo?

Acredito que somos capazes de cuidar de mais coisas do que pensamos. Eu mesma já constatei que com um número maior de compromissos consigo estruturar melhor o meu dia. E até encontro espaço para o desempenho de uma nova atividade. Trata-se de ter prioridades.

Quem não conhece um sedentário que sempre promete que vai voltar a malhar na próxima segunda-feira? Arranja desculpas, mesmo sabendo que seis horas de exercício físico por semana não farão tanta diferença nos prazos das tarefas. Ao contrário, produzimos melhor quanto temos o nosso momento de relaxamento.

Querem saber? Não adianta o desespero. Alimentamos a ilusão de que podemos planejar tudo, inclusive o nosso tempo, mas a vida é imprevisível. Corremos loucamente contra o relógio e aí vem Deus e manda parar, põe o obstáculo (uma oportunidade, ainda que não a enxerguemos assim), desarticula as nossas intenções com um propósito que só Ele conhece.

O tempo está acima de nós. E o tanto que pudermos discutir sobre o assunto, em horas, meses e anos, ainda será pouco. Por falar nisso... sinto muito se você acha que perdeu tempo lendo essas minhas breves considerações sobre a falta de tempo...



Ingrid Dragone

4 comentários:

Bruno Bahia disse...

Começando pelo final, você não tornou "nosso" tempo uma "perda de tempo" e ajuda até a refletir nas necessidades de saber organizar o dia a dia. Mas acredito que quem tem "falta de tempo" ou algo do tipo é mais para aquelas pessoas que não querem executar aquela tarefa... mas assumo que as vezes tenho essa falta de tempo também ehehhe..
beijos

INGRID DRAGONE disse...

Poxa!!! Finalmente vc fez um comentário no meu blog! :) Bem, fico feliz que não tenha perdido tempo aqui! E como eu disse no texto, o assunto rende... bjs.

sandro caldas disse...

Não podemos lutar contra o tempo, apenas seguir seu curso e viver dentro dele, da melhor forma.
Mas creio, hoje em dia, que corremos para lugar nenhum, com uma pressa desnecessária. Há muita pressa e pouca reflexão.
Há um livro chamado "Devagar", que é muito bom.
Grande beijo!

INGRID DRAGONE disse...

Sandro, gostei da sua reflexão e concordo com você. Volte sempre! bj.