30 março, 2009

Drinks para aquecer

Novas misturas criam bebidas interessantes e fazem a cabeça dos baianos

Por Ingrid Dragone
(matéria publicada na 6ª edição da revista Evento)

As águas de março já estão fechando o verão. Daqui a poucos dias os termômetros começarão a registrar temperaturas mais baixas. A cerveja gelada, tão apreciada pelo público baiano, perde um pouco o espaço em restaurantes e, principalmente, em bares com música ao vivo e boites. Um belo e delicioso drink passa a ser, sem dúvida, uma ótima opção para tornar as noites mais quentes e charmosas. Além de ser mais sofisticado e bastante saboroso, pode ser feito sob medida.

Por todos esses motivos, especialistas e empresários da área gastronômica estão cada vez mais dedicados à arte de preparar bebidas. Variedade, um visual diferenciado e receitas originais são imprescindíveis. Tanto investimento vem rendendo bons resultados. A demanda por drinks é crescente.

Por causa disso, muitos fabricantes de destilados, interessados em ampliar as possibilidades de venda de seus produtos, têm firmado parcerias com donos de empreendimentos ligados ao consumo de bebidas. Para o empresário Nagib Daiha, proprietário da casa de shows Madrre e do bar Bohemia Music Temakeria, o aumento da escolha dos clientes por drinks tem relação direta com o lançamento de outros destilados no mercado.

“Cachaças como Sagatiba e Itagibá incentivam a criação de batidas. Há também agora as vodkas mais caras, as chamadas premium, tão valorizadas quanto um uísque 12 anos. Elas têm sido combinadas com frutas. Em alguns estabelecimentos (a exemplo da Madrre) o cliente recebe as jarras de suco e faz a própria mistura. Hoje, até uísques são combinados com frutas, o que antes era inimaginável. A vida noturna de Salvador está mais agitada e o que faz sucesso em outros estados não demora para chegar aqui”, pontua.

Mas, não basta estudar a alquimia das bebidas somente com o intuito de apresentar aos clientes um cardápio repleto de novidades. É preciso entender as suas preferências, ter sensibilidade para agradar aos mais diversos paladares. Só assim, uma mistura é capaz de desbancar a escolha pelo tradicional uísque básico, acompanhado apenas de algumas pedras de gelo, e pela internacionalmente famosa caipirinha com cachaça.

Segundo o barman João Gaspar da Silva Neto, do restaurante Barbacoa, as mulheres, por exemplo, costumam apreciar bebidas mais leves, como coquetéis de frutas e roskas. Homens consomem frequentemente as bebidas com maior teor alcoólico e sabor mais “agressivo”. O Negroni é considerado um dos best sellers entre o público masculino. Trata-se de um drink que leva Campari, gin e Martini Russo. Outro campeão de pedidos é o Sauer, uma combinação de suco de limão batido com açúcar e uísque.

Sem distinção de sexo ou idade, também fazem sucesso na casa os drinks batidos Alexander (creme de leite, creme de cacau, conhaque, pó de nozes ou canela), Pina Colada (rum Bacardi, leite de coco, e suco de abacaxi, podendo levar um pouco de leite condensado ou xarope de groselha), e Meia de Seda (creme de leite, creme de cacau e gin), e o drink montado Luz Del Fuego (licor de tangerina, suco de laranja e espumante).

“O que garante a saída de um drink é a qualidade. Ele deve ter uma boa aparência e a dosagem das bebidas deve ser equilibrada. Às vezes o cliente pede uma coisa diferente. Experimentamos e avaliamos se a combinação dá certo”, diz o barman.

2 comentários:

Priscilla Reis disse...

Ameiii seu blog!!
To virando sua fã!!!!!!!!!
bjos

INGRID DRAGONE disse...

Oba! Bem vinda, Pri!!!
beeeeeeeijos!!!