29 julho, 2008

A Desconhecida

As gorduras repousavam bem adaptadas sobre a cadeira de ferro. Parecia que as pernas do móvel poderiam ceder a qualquer momento com tanto peso. As nádegas extrapolavam, e muito, a circunferência do assento. A cintura terminava em franzidos laterais de três dobras. Causadas pela flacidez, as ondas nos braços tinham todas as nuances enfatizadas pela luminosidade do sol. As panturrilhas não gozavam mais dos contornos firmes. Os cabelos ainda eram bonitos, sedosos... e o faziam pensar em muitas coisas.

Ele não compreendia o que havia acontecido com a mulher que conhecera há vinte anos. Aquela que o encantou dançando numa festa de verão. O corpo, pequeno e todo certinho, que com movimentos leves e sensuais era embalado pelas músicas da moda. Apenas os cabelos ainda eram os mesmos.

Ele pensou na cruel e inexorável ação do tempo. De como a maternidade e o casamento podem minar a beleza de uma mulher. Uma mulher que já não dá importância à silhueta que vê no espelho. À pele que reflete o cansaço e exala o cheiro da fritura que vai à mesa no jantar. Uma mulher que se contenta em estar com uma roupa limpa e as unhas bem cortadas.

Uma desconhecida... A mãe dos seus três filhos. A mão que de maneira tão dedicada preparava bolos e pães. A pessoa com quem dividia a cama todas as noites. Tudo isso, e quase nada como personificação do desejo. Quem era a pessoa acomodada na cadeira? Não havia mais com o que se ludibriar. Os olhos viam o que o coração gostaria de negar. A união tornou-se monótona. Preguiçosa como aqueles quilos de tecido adiposo relaxados dentro da estampa de flores.

Ingrid Dragone

4 comentários:

Luisa Maria disse...

A verdade nua e crua. Faltou o cara se olhar no espelho e ver se ainda continua romântico, gentil e com o "corpo todo certinho", como era no começo do casamento, né? rsrsrs.
Beijos!!!

INGRID DRAGONE disse...

Sua chata! A idéia é escrever a visão da mulher depois! kkkkkkkkkk Nasceu de sete meses foi? rs

Elen Vila Nova disse...

Amigaaa! Muito bom! Feliz em ler seus textos! Um beijo bem grande!
Quero te conhecer melhor e mais e mais.
Elenzinha

INGRID DRAGONE disse...

Obrigada Elenzinha! Vc é uma fofa mesmo! Beeeeeeeeeeeeeijos!