27 maio, 2008

Diferentes essas japonesas!!!

Eu não sabia. E tinha feito dele o melhor de todos. À mão, ou melhor, nos pés em momentos de descanso, descontração. Aquele par de chinelos pretos foi a minha melhor aquisição em termos de sandálias “japonesas” até então...



De repente, alguém me pede para prestar atenção, olhar para baixo e notar uma diferença. Olho, e nada vejo. Nada.


- Qual o problema com elas?

- Uma é maior que a outra! Você não reparou?

- Não! Você não sabe que todo mundo tem um pé maior que o outro?

- Nossa! Você acha que o problema é com o seu pé e não com elas? Sério?

- Você também tem um pé maior que o outro, sabia?


Diante dos risos resolvi fazer a medição. Juntei o par. Constatei: a diferença era grande. Como nunca tinha visto aquilo? Um pé deve ter dois números a mais. Eu? Logo eu! Extremamente atenta, detalhista... Como retirei o artigo da loja sem estar atenta a algo tão importante? Já uso as sandálias há três meses!


Toda vez que olho para o par de "alpercatas" (como diz meu pai) acho graça. Conhecendo a diferença entre elas não posso acreditar que não havia me dado conta. O piso da minha casa é predominantemente branco. Aquelas sandálias pretas saltam aos olhos quando descansam sobre a cerâmica. Assim, a diferença também deveria ter saltado.


Fiquei surpresa com a descoberta, e mais surpresa ainda com o fato dessa diferença não me incomodar. Penso: não percebi, muita gente não percebeu e nem vai perceber. Continuo usando. Confortáveis...



Ingrid Dragone

Nenhum comentário: