12 maio, 2008

Cinco Minutinhos

Hoje, quando voltava para casa, após um expediente bem agitado, senti certa irritação por causa de um carro de auto-escola que provocava a lentidão do trânsito (três veículos à frente do meu). Eu estava com muita vontade de chegar porque precisava almoçar e resolver umas pendências para sair novamente.


O maldito automóvel vermelho com uma larga faixa amarela nas laterais era o grande problema da minha vida naquele momento. Fiquei sem paciência. Sem um pingo dela. Até buzinei. Depois achei o meu comportamento ridículo. Realmente ridículo! Eu nasci dirigindo? Aliás, eu nasci sabendo fazer o que mesmo? Quantas coisas ainda devo aprender?


Por que as pessoas não entendem que precisam ser mais tolerantes, calmas e, até mesmo, solidárias? Se aquele cidadão andava devagar é porque, certamente, estava inseguro, tinha receio de errar. Nunca vivi aquele sentimento que ele vivia? E será que cinco minutinhos a mais na pista iriam verdadeiramente fazer alguma diferença para mim e os meus compromissos?


Espero, francamente, não receber buzinadas como aquela diante dos próximos desafios da minha vida pessoal e profissional. E olha que o trajeto ainda é longo, muito mais do que o trechinho que separava o meu estômago do prato de comida.



Ingrid Dragone

2 comentários:

Gabi Vasconcellos disse...

Olá Ingrid, muito legal a postagem, isso é verdade, quem foi que nasceu sabendo alguma coisa? gostei muito do seu blog. Ah espero que lembre de mim, te entrevistei, e por sinal a entrevista ficou ótima, adorei as matérias das revistas, a que mais gostei foi a da Bahia Chef, aquela de Jorge Amado. Sucesso pra você, até mais! Beijos!

INGRID DRAGONE disse...

Obrigada Gabi! Espero que continue acessando! Fiquei feliz em ajudá-la. Sucesso em sua carreira! Beijo!