14 março, 2008

O diálogo mais ao pé da letra do mundo


Luiza chega toda animada para contar “o babado” para Clarisse.


- Menina! Nem te conto!

- Então, não conte...

- É sério! Você não sabe o que aconteceu!

- Como irei saber? Você não me contou e nem quer contar!

- Hiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!! Chata você! Meu nome é tchau!

- Não é não, hein?




Ingrid Dragone

13 março, 2008

Festas Fake


Às vezes, devido à profissão, preciso freqüentar festas fake, ou seja, festas em que “imagem é tudo”. Nesses ambientes, definitivamente, as pessoas não pensam em diversão. O objetivo é fazer “um social”, mostrando o quanto podem pagar por um carro, uma roupa, bolsa ou jóia de grife.


Cada grupo de convidados em sua mesa. Risos contidos. Colares reluzentes. Gravatas importadas e impecavelmente colocadas sobre ternos alinhadíssimos. E não sei pra quê tanto perfume... Aliás, talvez a dose tenha de ser um tanto exagerada, afinal, ninguém se encosta e, assim, o cheiro da frangrância francesa é sentindo à distância.


É... As pessoas praticamente não se falam. Os cumprimentos são gelados... Aqueles dois beijinhos de sempre nem acontecem com o encostar dos rostos, simplesmente acontecem no ar, acompanhados de um "oi querida". E os tapinhas nas costas? Servem mais para que os anéis sejam exibidos do que para realmente manifestar alegria pela presença do outro.


E também fico me perguntando... Por que ninguém come? Comer não deve ser chique... Pois os garçons passam com as bandejas cheias e voltam... com as bandejas cheias!!! Ah! Ninguém dança. Lógico. Não deve ser chique dançar. Nem digo que seja para que os penteados não se desmanchem. É tanto laquê que nem um tsunami derruba os topetes e as contorcidas arrumações finalizadas com enfeites de strass.


É bem verdade que não tenho nada contra um black tie, muito pelo contrário. Contudo, sei que chique mesmo é saber que festa é para festejar. Parece óbvio, mas muita gente esqueceu disso faz tempo. Lamentável. Não há nada mais chato do que ter todas as possibilidades para uma grande celebração e estar entre manequins de vitrine.




Ingrid Dragone

12 março, 2008

Gracinhas Cotidianas 2


Um conhecido de um amigo meu estava no ponto de ônibus quando ouviu a seguinte conversa entre duas mulheres:

- O certo é falar probrema ou pobrema?

- Depende.

- Depende de quê?

- Pobrema é quando é dos outros. E probrema é quando é nosso.

- Ah! Tá! Entendi agora.



Gente, é verdade!!! Acreditem!

09 março, 2008

Recomendo – parte 4


  • Bombom com recheio de cupuaçu.
  • Promoção da Mitchell.
  • Espinheira Divina (ou santa) para quem abusa do garfo e às vezes sente enjôo ou dor de cabeça. O remédio é amargo que só, mas é tiro e queda.
  • Para quem gosta de hip hop, aulas de dança com o professor Zig (da academia Palco 4 – Caminho das Árvores).
  • Bolsas da Comparatto.
  • O filme Diamante de Sangue (direção: Edward Zwick).
  • Artigos de dança (sapatos, bolsas, roupas...) da Capézio.
  • Jantar no restaurante Amado (www.amadobahia.com.br).
  • Instalação do Skype no computador. Trata-se de um software que permite comunicação grátis pela internet através de conexões sobre VoIP (Voz Sobre IP).