23 dezembro, 2007

Acordar de Novo


Abri os olhos. O esperado teto branco não foi o que encontrei. Vultos com asas borboleteantes voavam diante da minha face. E, combinados, cessaram o movimento. Inacreditáveis anjos! Acordaram-me e não deixaram que eu tocasse os pés no chão antes de saber umas palavras bordadas de estrelas.

Abriram as minhas mãos. Coloram-nas em posição de guardar. Depositaram pergaminhos. Todos escrevinhados com o mesmo aviso. Avisaram-me sobre a importância do meu coração. Falaram-me dos cuidados, para que eu não permita que alguém o faça minguar.

Os anjos abriram a janela do meu quarto e mostraram-me a vida acontecendo lá fora. A luminosidade esplendorosa do sol sobre todas as coisas vivas e de concreto. A vida repleta de experiências felizes, justas aos meus sonhos.

E quando o sorriso tornou-se capaz de emoldurar flores em meu rumo, os anjos sinalizaram a partida. Recomendaram-me a leitura dos pergaminhos todos os dias. Saíram em vôo enfileirado, seguindo a direção do vento e deixando um rastro suspenso de brilhos miudinhos e efêmeros.

Ao tocar os pés no chão, eu já era nova pessoa. Nova para o mundo, nova para os outros, e para mim. Tantos pensamentos gravitaram ao meu redor... E todos me levaram a entender o valor de fazer diferente. Senti, então, o meu coração alargando-se para o bem. A leveza. O pulso novo. Sensação indescritível de estrada intocada. Recomeço...


Ingrid Dragone


Um comentário:

gislenecarvalhos disse...

Ingrid, que lindo, amiga!!!

Continue encantando nossas vidas com estas belas palavras.

Um Feliz Natal repleto de muitos anjos em tua vida.

Deus a abençoe sempre.

Lete